Skimboard em Ondas | Wave Skimboarding – OndaSkim

2º Encontro OndaSkim – Parte 1

A 2ª edição do Encontro OndaSkim rolou no último sábado, 27 de Agosto, na Praia da Macumba, e contou com mais Skimboarders e atrações do que o primeiro. “Mantemos a essência dos Encontros OndaSkim, que é reunir a comunidade local de Skimboarders e disseminar o nosso esporte”, disse Lucas Gomes.

Skimboarders de todo o estado do RJ compareceram. Foto: Antônio Dias

Skimboarders de todo o estado do RJ compareceram. Foto: Antônio Dias

A previsão de sol foi confirmada durante toda a manhã, e os atletas foram abençoados com boas ondas de meio metro quebrando com boa formação durante todo o evento. O vento só entrou às 10, mas não atrapalhou a session.

Ondaskimdois

Ao chegar, nos deparamos com ótimas condições. Foto: Antônio Dias

Cerca de 30 Skimboarders de todos os níveis estiveram presentes, com mais de 10 participando das aulas grátis de Skimboard instruídas pelo fundador da OndaSkim, Lucas Gomes.

Peter, de Nova Iorque, aproveitando as aulas. Foto: Antônio Dias

Peter, de Nova Iorque, aproveitando as aulas. Foto: Antônio Dias

Eduardo não se intimidou com as condições. Foto: Antônio Dias

Eduardo não se intimidou com as condições. Foto: Antônio Dias

“Vimos uma grande quantidade de iniciantes no evento, o que é muito bom para o futuro do nosso esporte”, disse Marcelo Araújo, do SkiMacumba. Para Gabriel Lobato, Skimboarder iniciante, o melhor do evento foi o test-drive de pranchas profissionais.

Gabriel e Guilherme escolhendo suas pranchas. Foto: Antônio Dias

Gabriel e Guilherme escolhendo suas pranchas. Foto: Antônio Dias

“Achei o encontro muito irado, esta foi a primeira vez que tive oportunidade de observar outras pessoas praticando skimboard e então aprender um pouco mais sobre o esporte.” – disse Pedro Tadeu, um dos destaques das aulas de skimboard.

Ondaskimdois15

Skimboarders de todas as idades aproveitaram as aulas. Foto: Antônio Dias

Skimboarders mais experientes, como o Rapzz, marcaram presença na Praia da Macumba: “O encontro proporcionou um momento de nostalgia e felicidade para os praticantes mais antigos.”

Allan Gobbo, Bzinho Picorelli e "Rapzz". Foto: Antônio Dias

Allan Gobbo, Bzinho Picorelli e “Rapzz”. Foto: Antônio Dias

"Sapo" veio da Socta Verde em busca de boas ondas. Foto: Antônio Dias

“Sapo” veio da Costa Verde em busca de boas ondas. Foto: Antônio Dias

Há alguns anos o Rio de Janeiro não via tantos Skimboarders juntos no mesmo pico. Vitor Leão veio da Costa Verde e ficou surpreso: “Na hora de tirar a foto oficial, deu para ver quantos praticantes de skimboard o RJ tem … geral unido e rindo !”

Foto oficial, com mais de 30 sorrisos. Foto: Antônio Dias

Foto oficial, com mais de 30 sorrisos. Foto: Antônio Dias

 

A Pervaleo aproveitou o ambiente para explorar a essência do Skimboard em Ondas em um vídeo curto:

 

No próximo post, você vai ver as fotos da Expression Session e saber quem foram os destaques do evento ! Por enquanto, vamos te deixar olhando para essa foto, para você ter uma ideia do quê está por vir …

Gustavo Camara em um belo wrap. Foto: Antônio Dias

Gustavo Camara em um belo wrap. Foto: Antônio Dias

OBX Skim Jam – Vídeo Oficial da 4ª Etapa do UST

No final de Julho, aconteceu a 4ª etapa do UST, o OBX Skim Jam, na Carolina do Norte. Fizemos esta matéria com fotos e o Perry Pruitt falando sobre como foi o evento. O vídeo oficial está no ar, com imagens iradas do campeonato. Destaque para as liners para a direita e os aéreos do Austin Keen. Fica uma pergunta no ar: Será que aéreos para trás da onda deveriam ser pontuados em uma competição de Skimboard em ondas ? Deixe sua opinião nos comentários:

O Legado do Skimboard Brasileiro

Pedro Maioli é um Skimboarder do Espírito Santo, no Brasil, e nos conta um pouco da trajetória da mídia do Skimboard Brasileiro:

Pedro Maioli é um dos destaques amadores do estado. Foto: Arquivo Pessoal

Pedro Maioli é um dos destaques amadores do estado. Foto: Arquivo Pessoal

 

No Espírito Santo, era comum vermos o disco redondo de madeira ou pranchas feitas de polietileno deslizar pelas areias e ir de encontro às ondas. As manobras não variavam muito, ou era jogar água na cara do amigo, o que gerava grande zoação e empolgação, ou dar uma pirueta. Os aéreos com essas ‘pranchas’ era algo difícil, geralmente realizados por quem surfava muito ou andava de skate.

Canote mostrando o que é o Skimboard. Foto: ESkim

Canote mostrando o que é o Skimboard. Foto: ESkim

Foi então que tive o meu primeiro contato com o real skimboard. Vi Marcus Orelha, Canotti e Lucas Pato surfando aquelas ondas que quebravam na beira com uma fluidez nunca vista. Era apenas um pedacinho do paraíso que eu estava prestes a desfrutar.

Paulo Prietto em The Wedge, Califórnia. Foto: Joe Bailey

Paulo Prietto em The Wedge, Califórnia. Foto: Joe Bailey

Trocando ideia com aqueles que eram meus ídolos, conheci de fato o verdadeiro skimboard. O youtube dava passos largos na sua popularização dentro da internet, mesmo com vídeos pixelizados. E vendo um desses vídeos nos fóruns das comunidades do saudoso Orkut, me deparei com a parte do Paulo Prietto no filme Sicky Rolla, em que ele, em The Wedge, pula de seu skim para um bodyboard em uma onda cabreira. Acho que foi nesse momento que eu quis verdadeiramente me dedicar a esse esporte.

Bill Bryan, a maior lenda do Skimboard moderno. Foto: Joe Bailey

Bill Bryan, a maior lenda do Skimboard moderno. Foto: Joe Bailey

A internet e o skimboard andavam juntos no Brasil. A popularização da web contribuía diretamente para que todo o conteúdo americano tivesse influência no Brasil, tanto em termos de manobras quanto na tecnologia do material. A ForeverSkim (talvez a maior revista que o mundo do skim já teve) era ovacionada a cada edição nova, porém seu conteúdo era em inglês (óbvio) e eu não tinha (nem tenho tanto hoje em dia) domínio para saber o que realmente estava rolando além das imagens e vídeos.

A foto que colocou a Praia da Sununga no mapa internacional. Foto: André Magarão

A foto que colocou a Praia da Sununga no mapa internacional. Foto: André Magarão

Aproveitando dessa necessidade e vendo um público adepto crescer exponencialmente, começaram a surgir blogs no Brasil. O primeiro, Nação Skim, foi o pioneiro na divulgação das praias cariocas e nas trips. Foi por causa deles que a praia da Sununga é o que é hoje. Foram os primeiros a mostrarem o potencial dessa sider, junto dos lendários vídeos de Marcelo, Medrado e Vuca.

Nação Skim era o blog sobre Skimboard no Brasil há uma década atrás.

A geração seguinte pegou o vácuo deixado pelo Nação Skim e aprimorou o conteúdo. Surgiu o Zero Skim, e, logo depois, o Zona Skim (http://zonaskim.blogspot.com.br). Nessa altura eu já acompanhava de perto o conteúdo dos meus contemporâneos, fazendo crescer em mim a necessidade de também divulgar o que a molecada mais jovem do Espírito Santo estava fazendo. O Zona Skim trouxe um ar escrachado e divertido para o skimboard nacional. Levou músicas maneiras (como o Rap do Silva) e linguagens (gírias) nada convencionais vistas até então. A tal da brasilidade. Apoiados pelo grande Magarão, vimos através de suas lentes crescerem atletas que hoje são grandes skimmers como Lucas Gomes “Caco”, Lucas e Matheus Chiabi, e Guilherme Vaz “Hantaro”. Virou Brazil Kids, pararam na ForeverSkim e fizeram parte do grande reconhecimento internacional do skimboard nacional.

Os vídeos dos Brazil Kids rodaram o mundo com as publicações da FSM.

Na mesma pegada, também no Rio de Janeiro, a galera da Zona Oeste fez crescer o SkiMacumba. Produzido por uma rapaziada um pouco mais velha, a galera da Praia da Macumba trouxe textos mais padronizados e diversos projetos com a experiência do multiesportista Bzinho Picorelli. Essa galera também foi responsável por atrair grandes patrocinadores nos eventos na capital fluminense.

Allan Gobbo, um dos representantes do Skimacumba. Foto: Skimacumba

Allan Gobbo, um dos representantes do Skimacumba. Foto: Skimacumba

 

No Espírito Santo, tínhamos o Espírito Skim, composto por grandes lendas do skimboard local como Fernando Ribeiro “Fino”, Wagner Júnior, André Boechat “Dedé” e Hugo Zandonadi.

O ESkim descobriu diversos picos capixabas e oficializou grandes points, como a Praia da Costa (que quase não havia locais nessa época), o Barrão (onde nem existia skimboard e hoje temos grandes talentos criados lá) além do pico ESpot, talvez a grande descoberta desse grupo.

Dedé e Wagner  em Camburi, cedo. Foto: ESkim

Dedé e Wagner em Camburi, cedo. Foto: ESkim

Todos esses blogs, Espírito Skim e Zona Skim, se uniram no site SkimBrasil, plataforma criada por André Magarão, com o objetivo de unificar o esporte no Brasil e criar esse intercâmbio cultural gigantesco. Posteriormente, no Espírito Santo, criamos o OneSkim, que por sua vez deu lugar ao Vitória Skim (os mesmos integrantes do SkimCamburi), e também conquistamos um lugar no site de Magarão.

Munir Ruffo, foto clássica no Skimbrasil. Foto: André Magarão

Munir Ruffo, foto clássica no Skimbrasil. Foto: André Magarão

Guilherme Vaz em Itacoatiara. Foto: André Magarão

Guilherme Vaz em Itacoatiara. Foto: André Magarão

Hoje, a difusão nas redes sociais deu amplitude a atletas, equipes e patrocinadores. A internet teve papel fundamental para que o skimboard conquistasse seu espaço nos esportes de ação. Afinal, que surfista ou bodyboarder nunca ouviu falar de Brad Domke, que tem um programa SÓ DELE no Canal Off, o maior canal de esportes de ação do Brasil?

A maior onda em um Skimboard. Video: Dylan Palmer

Conquistamos o reconhecimento nunca imaginado, e toda essa evolução não tem nem 10 anos! O intercâmbio cultural entre Estados e países se deve exclusivamente a força de vontade dos antigos skimmers, que viram nos blogs a oportunidade de divulgar suas vivências e praias a fim de evoluir e impulsionar o esporte dos quais somos apaixonados. Esse movimento contribuiu para que skimmers isolados nos mais diversos picos do Brasil, onde o skimboard não tem tanta força, pudessem trocar suas experiências e comprar materiais de qualidade.   

Encontro em Camburi, ES. Foto: Skim Camburi

Encontro em Camburi, ES. Foto: Skim Camburi

A cada nova mídia voltada para o skim surge um novo produtor de conteúdo com vontade de alavancar, através de novas propostas e sonhos, atletas com grande futuro. Veremos em breve um brasileiro ser campeão do UST, basta olhar a história do skate e do surf, muito similares a do skimboard.

Agradeço ao OndaSkim pela oportunidade de compartilhar um pouco do que vi e vivi durante esses anos e desejo todo o sucesso ao site e seus apoiadores nessa nova caminhada!

Um grande abraço da galera do SkimCamburi !

Para saber mais sobre o Skim Camburi, visite a página do Facebook: SkimCamburi

Uma história de Superação – Zach Platt

Para você, algumas coisas podem parecer impossíveis.

Hoje, você vai conhecer a história do Zach, Skimboarder do Havaí que não se deixou abalar por uma mal formação dos braços e é um exemplo de superação:

Meu nome é Zach Platt, e eu tenho 32 anos.

Minha mãe teve uma gripe quando eu estava na barriga dela, o que me fez nascer com os braços mal formados e para baixo. Quando eu era neném, os médicos fizeram uma cirurgia em que quebraram meus braços para que eu pudesse me alimentar sozinho.

Sonhando.

Sonhando. Foto: Arquivo pessoal.

a

Com 13 anos, conheci o Skimboard. Um amigo tinha uma prancha de madeira e eu percebi que podia empurrar a prancha com meu pé, correr e pular em cima dela. Eu fiquei viciado !

Implorei para meu pai me dar uma prancha e ele disse que não … Até que o natal chegou e lá estava meu skimboard de fibra de vidro ! Fiquei muito animado, dando shove-its no tapete de casa, haha !!

Eufórico, no mar. Foto: Arquivo pessoal.

Eufórico, no mar. Foto: Arquivo pessoal.

a

Descrever o que eu sinto quando estou andando de skim não é fácil, mas eu fico amarradão, eufórico ! Eu amo o sentimento de viver no momento, o oceano fica em movimento, então não dá tempo de se estressar pensando nas contas, ou em estar solteiro, ou em outros problemas. Eu só penso em mandar aéreos grandes e pegar tubos com os amigos. Daí é só tomar um banho e repetir no dia seguinte …

Uma bela rasgada. Foto: Kickinsurf.com

Uma bela rasgada. Foto: Kickinsurf

a

Tenho muito orgulho de ser Skimboarder, isso faz as pessoas me verem de uma forma diferente de “aquele cara deficiente físico”. Ontem mesmo, um cara me viu skimando na praia e disse para o resto da sua família que eu era o melhor cara que ele já viu “deslizando na areia”. Eu ri e agradeci :).

Zach no pódio do Vic. Foto: Arquivo pessoal.

Zach no pódio do Vic. Foto: Arquivo pessoal.

a

Meu maior sonho é ser campeão no Vic (um dos maiores campeonatos de Skimboard do mundo) na minha categoria, nos amadores. Eu sei que eu não posso ganhar do Austin Keen ou do Sam Stinnett. Haha !

Os locais de Maui, Havaí, que skimam comigo são o Brandyn Benson, Daniel Pardini, Jack Klingman, Keith Fowler, Sean Mcclanahan e mais alguns. Queria dizer obrigado ao Bill Bryan por vir aqui há um tempo atrás e mostrar pra gente seu skim de alto nível. (Risos)

Competindo com muito comprometimento. Foto: Kickinsurf

Competindo com muito comprometimento. Foto: Kickinsurf

a

Minha mensagem para todos é: Não deixe “eu não consigo” ser parte da sua vida. Vai e corre atrás do seu sonho, não importa se parece impossível, continue tentando ! Eu ainda acredito que estou perto de completar manobras que são “impossíveis” o tempo todo, então vai lá e tenta que um dia você consegue !

Zach se divertindo e puxando seus limites em 2011. Imagina o nível do cara hoje !

E VÃO ANDAR DE SKIMBOARD, GALERA !!!

a

Agradecemos ao Zach por compartilhar sua história inspiradora com a gente !

O que achou da história dele ? Deixe abaixo seu comentário 🙂

OBX Skim Jam – 4ª etapa do UST

Nos dias 30 e 31 de Julho, aconteceu um dos maiores campeonatos da Costa Leste dos EUA: o OBX Skim Jam. Com o verão no hemisfério norte chegando ao pico, a praia estava lotada e Skimboarders de todo o país competiram em Nags Head, Carolina do Norte. No texto abaixo, Perry Pruitt, local de OBX, nos conta como foi o evento:

Local do pico, o Perry conhece bem as ondas de OBX.

Local do pico, o Perry conhece bem as ondas de OBX.

a

Os eventos de Skimboard nessa praia tinham sido banidos por causa do comportamento dos competidores nos anos anteriores, o que fez com que os organizadores Watkins Holt e a Skim USA tivessem que argumentar com a prefeitura para ter o evento de volta em Nags Head, no estado da Carolina do Norte.

Praia cheia e muita vibe.

Praia cheia e muita vibe.

a

Haviam regras bem claras a serem seguidas, mas a comunidade de Skimboard se comportou muito bem e o campeonato rolou tranquilamente e com muita diversão.

Logo depois da competição, a organização recebeu um e-mail da prefeitura, dando parabéns pelo o ótimo campeonato e convidando o Watkins a organizar novos eventos de Skimboard para os próximos anos.

"Handstand", uma manobra das antigas !

“Handstand”, uma manobra das antigas !

a

No primeiro dia de competição, as ondas estavam pequenas, mas bem melhores do que nos dias antes do campeonato começar. De tarde, uma forte tempestade atrasou as baterias por um tempo, mas logo que passou a chuva, a competição voltou.

Sam Stinnett se dedicou mas não chegou às quartas de finais.

Sam Stinnett se dedicou mas não chegou às quartas de finais.

a

O segundo dia estava nublado, com o sol aparecendo algumas vezes. O vento, graças a Deus, virou para terral e a zona de competição tinha claramente as melhores ondas para skim na praia (o que não é muito comum). Mais uma tempestade de raios atrasou as semi e finais por cerca de uma hora.

Jack Tenney com uma rabetada forte.

Jack Tenney com uma rabetada forte.

a

Com a tempestade passando, as ondas eram as melhores de todo o fim de semana, por sorte. As semi-finais dos profissionais tiveram o nível mais impressionante de skimboard que eu já vi na Costa Leste dos EUA em um bom tempo.

Austin e seu superman invertido.

Austin e seu superman invertido.

a

Austin se destacou com muita velocidade e variando nas manobras, enquanto Perry teve uma leitura de onda própria de local do pico e Jack Tenney abusou da vantagem de ter em mãos uma prancha com mais flutuação do que os outros, além das suas habilidades em ondas pequenas.

Perry a caminho do 2º lugar.

Perry a caminho do 2º lugar.

a

Uma das grandes surpresas foi o fato do atual campeão do tour, Sam Stinnett, não passar das quartas de final, o que não acontece há anos, tornando interessante a corrida pelo título deste ano.

a

Veja mais fotos na galeria abaixo !

a

Resultados:

1º Austin Keen

2º Perry Pruitt

3º Jack Tenney

4º Blair Conklin

5º Matt Buchannan

6º Kyle Calandra

a

Este slideshow necessita de JavaScript.

Palavras: Perry Pruitt

Fotos: Fabiana Badie